fbpx

Pandemia adia volta ao trabalho presencial

12 de março de 2021  |  Por Da Redação  |  LBCA
Pandemia adia volta ao trabalho presencial

Para tentar conter a pandemia, São Paulo entra na Fase Emergencial e segue outros Estados, com reflexos sobre a decisão das empresas de voltar ao trabalho presencial.

Quantas empresas previram o retorno ao trabalho presencial este ano?

De acordo com pesquisa da KPMG, 46% das companhias tinham projetos de retornar ao trabalho presencial em 2021, decisão que passou a ser revista com o recrudescimento da pandemia da Covid-19, em decorrência da lenta vacinação contra o coronavírus e do surgimento de novas cepas, mais contagiosas. As empresas avaliam adiar o trabalho presencial e devem optar por proteger seus funcionários por meio do trabalho à distância por mais tempo.

Quantas companhias voltaram ao trabalho presencial?

Segundo a pesquisa, 35% de grandes empresas brasileiras retornaram o trabalho presencial em suas unidades corporativas, adotando rígidos protocolos sanitários, com adequação estrutural, de fluxo e processo de trabalho, monitoramento da saúde dos trabalhadores com medição de temperatura e afastamento social, treinamentos sistemáticos sobre protocolos de saúde, com medidas de prevenção e controle de infecções, até que o quadro epidemiológico dê sinais de retração.

E quanto ao setor público?

Um em cada quatro servidores do Executivo federal trabalharam em home office integral no final de 2020, segundo o Ministério da Economia. O governo chegou a publicar a Instrução Normativo 65 para orientar e definir regras sobre o trabalho remoto na administração pública, visando evitar prejuízos à prestação do serviço público.

As empresas aprenderam a trabalhar remotamente?

Sim e descobriram que a tecnologia pode aumentar a produtividade dos empregados e reduzir despesas com a manutenção das estruturas físicas e viagens de negócios. O teletrabalho acabou virando a estrela positiva desse período pandêmico e há tendência de ser mantido, mesmo depois de vencido o contágio da Covid-19.

Confira  as últimas atualizações jurídicas sobre o impacto do Coronavírus no Brasil e no mundo/a></a