fbpx

Vantagens e desvantagens entre e-commerce e marketplace

1 de setembro de 2021  |  Por Fernando Torre  |  LBCA
Vantagens e desvantagens entre e-commerce e marketplace

O potencial das vendas on-line tende a crescer cada vez mais, mas é preciso conhecer as diferenças básicas para empreender com mais foco sobre as vantagens e desvantagens entre o marketplace e o e-commerce.

1. Quanto faturaram as vendas on-line em 2020?
Sem dúvida, as vendas pela internet cresceram em grande parte por conta da pandemia da Covid-19, que fechou as lojas presenciais em 2020 e o crescimento do comércio on-line disparou, registrando crescimento de 41% no ano passado . No primeiro trimestre deste ano, já subiu 14% ,totalizando 17 bilhões em vendas, segundo pesquisa da Compre&Confie, sendo que o Brasil já ocupa o 10º lugar no ranking mundial, com 12,9 milhões de consumidores on-line, que gastam em média R$ 1.180,00, no período.

2. O que é um e-commerce?
Podemos entender o e-commerce como uma loja on-line. Portanto, os produtos são comercializados virtualmente e isso não importa se é uma loja pequena com poucos produtos ou uma grande empresa com milhares de itens para disponibilizar aos consumidores.

3. O que é marketplace?
É uma plataforma que sedia diversas lojas virtuais com diferentes produtos e marcas e tem vários formatos. Há o modelo administrado por fornecedores com canal de vendas aos consumidores; o independente, que utiliza o modelo de negócio B2B (empresa para empresa), conectando quem vende e compra no mesmo canal. Há o chamado vertical, que trabalha com produtos de segmento específico, podendo oferecer preços mais atrativos e o horizontal, que reúne compradores e vendedores que transacionam conforme o interesse comum.

4. Quais as diferenças principais entre marketplace e e-commerce?
Para quem está começando no comércio digital, o marketplace oferece três vantagens: como possui um tráfego maior de pessoas e pode dar mais visibilidade a um produto que está entrando na internet ; além de garantir custos mais baixos com infraestrutura e dar mais segurança às transações digitais . Já no e-commerce individual, o custo inicial será bancado unicamente pelo empreendedor, que tem como vantagem a liberdade de gerir sua plataforma como quiser, ser proprietário do domínio e não ter de pagar comissões a terceiros.