fbpx

O boom dos leilões de 5G

30 de setembro de 2020  |  Por Ricardo Freitas Silveira  |  LBCA
Leilões de 5G no Brasil

Além do Brasil, está prevista a realização de 40 leilões de frequência para o 5G em todo o planeta até 2022,
segundo a Global Mobile Suppliers Association (GSA).

1.De acordo com a GSA , quantos países farão licitações envolvendo 5G?

O levantamento aponta 52 países, demonstrando que o calendário de leilões das redes de quinta geração será movimentado em todo o planeta, a despeito da pandemia de Covid-19.

2.Em que etapa está o leilão brasileiro de 5G?

A previsão é que a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) realize o leilão de licença da quinta geração de telefonia celular em abril de 2021, com perspectiva de acrescentar 1% do PIB nacional na economia a cada ano. Os investimentos das operadoras serão de R$ 9,2 bilhões até 2025, com recolhimento previsto de R$ 70 bilhões em tributos e impostos.

3.Além do leilão, o que pode atrasar a expansão do 5G no Brasil ?

O preço dos smarphones, que é alto devido à baixa escala. Uma fabricante que já está em etapa de pré-venda, está anunciando seu modelo mais barato pelo valor de R$ 6.500. Para a média dos consumidores brasileiros é um custo elevado.

4.Qual o modelo de leilão que o Brasil deve adotar?

Há divergências. Para uns, o melhor modelo é o coreano, que privilegia ao mesmo tempo os termos de arrecadação e obrigações de cobertura. Para outros, é o austríaco, considerado um dos mais baratos, mas que prevê muitos compromissos de cobertura e há até quem defenda o modelo chileno, pelo qual as operadoras não pagam nada e se comprometem com maior cobertura.

5. Quais leilões devem ser os mais disputados.

Certamente, aqueles leilões que são os mais baratos e também em países com populações mais concentradas, que permitem menor investimento para atingir maior cobertura.

Confira as últimas atualizações jurídicas sobre o impacto do Coronavírus no Brasil e no mundo →