fbpx

Desafios ambientais para o setor produtivo ganha guia

23 de novembro de 2020  |  Por Da Redação  |  LBCA
CNI GUIA

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) lançou Guia para otimização de acesso pela Indústria ao financiamento para o clima. No comunicado recente da cúpula do G-20, grupo das 20 maiores economias do mundo, o compromisso com a pauta ambiental foi o destaque.

1. De que patamar de recursos estamos falando?

As iniciativas climáticas movimentaram em 2018 o total de US$ 546 bilhões, sendo que a fatia da América do Sul e Caribe foi de apenas 4,5% contra 38% da Ásia.

2. Quais os ônus da mudança climática para a economia?

Segundo relatório do Banco Mundial estima-se que gerará um prejuízo anual global entre US$ 77,6 bilhões e US$ 89,6 bilhões até 2050. No Brasil, os eventos climáticos extremos representaram perdas de até R$ 355,6 bilhões entre 2002 e 2012.

3. Qual a meta de redução das emissões de GEE neste ano?

Dentro do Acordo de Paris, o Brasil definiu suas Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDC) contra as mudanças climáticas aplicáveis a toda a economia. No caso do processo industrial e uso da energia pela indústria, a redução das emissões será de 5% de gases de efeito estudo (GEE), que contribuem para o aumento da temperatura atmosférica e dos oceanos, em relação ao índice atual (324,38MtCo2e) .

4. Como se processa o financiamento climático?

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é a principal fonte de recursos reembolsáveis para o financiamento climático no Brasil e as necessidade atuais para as organizações interessadas estão centradas em três pontos: mitigação de emissão de GEE, adaptação às mudanças climáticas, transversais às necessidades de mitigação e adaptação.

Veja a íntegra do Guia lançado pela CNI

Confira as últimas atualizações jurídicas sobre o impacto do Coronavírus no Brasil e no mundo/a></a