fbpx

Compliance e os três riscos: regulatório, corporativo e ESG

4 de fevereiro de 2022  |  Por Ricardo Rezende  |  LBCA
Compliance e o três riscos: regulatório, corporativo e ESG

Além  de constituírem  normas destinadas a prevenir e administrar riscos, o Programa de Compliance ajuda a criar um ambiente negocial mais positivo, com segurança jurídica e preservação da marca. Atualmente, as corporações enfrentam três desafios: regulatório, corporativo e ESG.

1. Por que o Compliance é importante para as corporações?

Vivemos em um cenário econômico, no qual as coisas mudam muito rapidamente e um programa de conformidade ajuda a estabelecer balizas, seja em busca de uma governança ética, de proteção de dados, de conformidade com leis e regulamentos e voltadas a aspectos concorrenciais. Esses fatores contribuem para dar sustentabilidade às organizações  e preservar reputações.

2. No que consistem os riscos regulatórios?

O próprio Compliance já significa agir em conformidade com as leis. Portanto, a prevenção desses riscos está na base da cultura e saúde organizacional que visa à  integridade organizacional e consolidação de um ambiente com boas práticas de gestão.

Exige a análise de oportunidades e ameaças e a definição dos esforços de conformidade para vencer esses desafios em cumprimento à missão e valores da empresa. Dessa forma, a companhia tende a crescer e se consolidar no mercado, inclusive do ponto de vista reputacional.

3. Quais são os riscos corporativos?

Sem dúvida, são muitos. As corporações precisam adotar práticas de conformidade que possibilitem cumprir as exigências legais do ordenamento jurídico nacional e regulamentares relativas ao segmento negocial no qual atuam.

Ao identificar e mitigar riscos, aprimora-se a gestão no sentido prevenir todo tipo de ilícito, ampliando a transparência  e coletando e tratando dados pessoais em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Todos esses elementos ajudam a promover a integridade e accountability da companhia.